AS POLÍTICAS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES: NOVAS TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA, segundo Raquel Goulart Barreto.

Blog do Nikel

Neste texto consta o fichamento do capítulo 1, homônimo ao título do post, escrito por Barreto (2003), e encontrado na organização intitulada: Tecnologias educacionais e educação à distância (editora Quartet, 2ª edição, 2003). O objetivo deste escrito é a apresentação de uma leitura, tendo como base um lugar contraditório atribuído à formação de professores no Brasil atual. Destacam-se as dimensões ideológicas, econômicas e político-pedagógicas que o sustentam. Neste movimento, discute-se alguns dos principais efeitos produzidos pelas propostas de utilização das tecnologias da informação e da comunicação (TIC), especialmente, como estratégias para promover a modalidade de educação a distância (EAD).

A globalização foi um dos principais motivos para a introdução das TICS. A globalização foi um dos principais motivos para a introdução das TICS¹.

Globalização” e “Globalitarismo”

Barreto (2003) faz severas críticas ao que chama de “globalitarismo”, termo criado pelo jornalista Ramonet (editor do periódico Le Monde), e que caracteriza a atual ditadura do pensamento único tendo como pano…

Ver o post original 1.157 mais palavras

Anúncios

Um pensamento sobre “AS POLÍTICAS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES: NOVAS TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA, segundo Raquel Goulart Barreto.

  1. Pingback: O DESENVOLVIMENTO DO ENSINO A DISTÂNCIA | Blog do Nikel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s