Educação e Pedagogia

Este é um breve resumo do capítulo 2 do livro Filosofia  da Educação de Maria de Arruda Aranha.

1- O ATO DE EDUCAR

Para ARANHA, a educação não é a simples transmissão da herança dos antepassados para as novas gerações, mas o processo que torna possível a gestação do novo e o rompimento com o velho.

Presume-se a interligação no ato pedagógico de três componentes: um agente, uma mensagem transmitida e um educando.

A autora conclui que a educação não pode ser compreendida fora do contexto histórico-social concreto e, portanto, a prática social é o ponto de partida e o ponto de chegada da ação pedagógica. Para que a práxis pedagógica seja intencional, é preciso que saiba explicar de antemão os fins a serem atingidos no processo.

Para Dewey, o processo educativo é o seu próprio fim. Sob este aspecto, as necessidades humanas devem ser analisadas concretamente, e as prioridades serão diferentes se nos propusermos a educar em uma favela ou em um bairro da elite. Portanto, os fins se baseiam em valores provisórios que se alteram conforme alcançarmos os objetivos imediatos propostos e também enquanto muda a realidade vivida.

A autora ainda nos alerta que: não há separação entre educação e poder. A educação não é um processo neutro, mas se acha comprometida com a economia e a política de seu meio.

2- REFLEXÃO PEDAGÓGICA

Podemos distinguir pelos menos três tendências mais marcantes  na pedagogia:

a) as pedagogias filosóficas (ou essencialistas) baseadas no modelo de ser humano “universal”, tendo como base as filosofias clássicas, pertencentes à Grécia antiga; e o empirismo liberal de Locke.

b) as pedagogias positivistas, que buscam garantir sua cientificidade, tendo em Conte seu papa.

c) as pedagogias dialéticas, que refletem criticamente sobre a educação como também propõe modos de uma ação emancipatória.

3- CIÊNCIAS AUXILIARES DA PEDAGOGIA

A psicologia

Rousseau destacou a importância de se conhecer bem aquele que se quer educar. Ele entre outros educadores estavam convencidos de que  a educação seria mais eficaz, com maiores chances de se formar um adulto feliz, se o desenvolvimento do psiquismo infantil ocorresse de modo harmonioso e sem coação. A psicologia aplicada à educação, contribui para validar questões como o controle de distúrbios de aprendizagem, níveis de dificuldade do educando, ritmo de aquisição de conhecimento, etc.

A Sociologia

Ampliou a compreensão  da escola como grupo social complexo e da educação como processo de perpetuação e desenvolvimento da sociedade.

“A educação é a ação exercida pelas gerações adultas, sobre as gerações que não se encontrem ainda preparada para a vida social; tem por objetivo suscitar e desenvolver, na criança, certo número de estados físicos intelectuais e morais, reclamados pela sociedade política, particularmente, se destine”. (DURKHEIM, in ARANHA 2006)

Com esta citação de DURKHEIM, a pesquisadora nos faz refletir que: “a educação satisfaz, antes de tudo, as necessidades sociais” e “salta aos olhos que toda educação consiste num esforço contínuo para impor à criança as maneiras de ver, de sentir e de agir às quais a criança não teria espontaneamente chegado (pg 36).

Nota-se nesta abordagem durkheimiana, uma parcialidade, que descuida do processo educacional interno e só visa a exterioridade do mesmo. Há uma absolutização social do indivíduo, retirando dele a possibilidade de contestação. Trata-se de certa forma de uma visão conservadora, pois, vê a educação como forma de manutenção da estrutura social.

4 – A ESPECIFICIDADE DA PEDAGOGIA

Cabe ao pedagogo equilibrar as diversas contribuições teóricas, que enriquecem sua teoria e lhe dão rigor e objetividade. Busca-se, em seguida, a contribuição das ciências auxiliares da educação, para não só atingir o ponto de chegada, que é a realidade do educando

5- CONCLUSÃO

Este capítulo serve como pano de fundo, com uma base para o melhor entendimento das questões que serão levantadas nos módulos posteriores. Faz-se aqui, uma demonstração bem básica e didática sobre as ciências que auxiliam no trabalho do pedagogo. Seguindo o livro o leitor terá mais meios e artifícios para compreender melhor cada ciência descrita acima.

Até a próxima !!!

BIBLIOGRAFIA:

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. Filosofia da Educação; ed Moderna 3º edição; 2006)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s