Como é possivel então  que a classe dominada não se rebele – ou demore para se rebelar- permanecendo fiel aos interesses das classes ? Se admitirmos que a superestrutura reflete a infra-estrutura, temos de concluir que as formas de pensar e as instituições criadas a partir do modo de produção capitalista serão burguesas (e não proletárias). Ainda mais: a dominação de uma classe sobre outra se de à ideologia, por meio da qual a exploração é mascarada e os valores da burguesia passam a ser considerados “universais” – não mais valores de determinada classe -,podendo ser assimilados pelo proletário, o que dificulta o desenvolvimento de pensar próprio e autônomo do trabalhador.

(ARANHA, Maria  Lúcia de Arruda. FIlosofia da Educação, 2006 pg 196)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s